top of page
un demons II_edited.jpg

UNIDADES DEMONSTRATIVAS

O professor Paulo Sérgio Leles, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Laboratório de Pesquisas e Estudos em Reflorestamentos (LAPER), vem conduzindo com os seus alunos e técnicos parceiros, diversos estudos relacionados ao aprimoramento das técnicas silviculturais para formação de povoamentos florestais visando a restauração florestal. Experimentos incluem estudos sobre controle de plantas daninhas e uso de biossólido de lodo de esgoto como adubação de plantio, uso de herbicidas em espécies pré- emergentes e práticas de semeadura direta.

20220608_092319.jpg
Colaboradores realizando a semeadura direta através do método da "muvuca" - © REGUA

O uso da técnica de restauração com Semeadura Direta foi realizado pela primeira vez na REGUA neste ano de 2022 e teve caráter experimental. Com isso, foi feita uma parceria com o LAPER, que por intermédio do Professor Paulo Sérgio, foi possível realizar a implantação da área com sucesso. Também foi feita parceria com uma empresa do estado de São Paulo, denominada Da Serra Ambiental, que tem interesse em testar a técnica da muvuca e o uso de herbicidas pré-emergentes em outras áreas do bioma, a fim de comparar com as suas áreas experimentais. Para este experimento, a área da semeadura foi dividida em três unidades amostrais, onde em cada uma a semeadura no solo foi feita de maneira diferente. O objetivo deste experimento é testar a eficiência dos métodos de semeio a partir da forma como se darão os tratos culturais futuramente. Em outra parte do experimento será testada o uso de herbicida pré-emergente, em 6 diferentes tratamentos, para avaliar a eficiência do controle da matocompetição nos blocos 1 e 2. Já o bloco 3 será usado como testemunha.

O uso da técnica de restauração com Semeadura Direta foi realizado pela primeira vez na REGUA neste ano de 2022 e teve caráter experimental. Com isso, foi feita uma parceria com o LAPER, que por intermédio do Professor Paulo Sérgio, foi possível realizar a implantação da área com sucesso. Também foi feita parceria com uma empresa do estado de São Paulo, denominada Da Serra Ambiental, que tem interesse em testar a técnica da muvuca e o uso de herbicidas pré-emergentes em outras áreas do bioma, a fim de comparar com as suas áreas experimentais. Para este experimento, a área da semeadura foi dividida em três unidades amostrais, onde em cada uma a semeadura no solo foi feita de maneira diferente. O objetivo deste experimento é testar a eficiência dos métodos de semeio a partir da forma como se darão os tratos culturais futuramente. Em outra parte do experimento será testada o uso de herbicida pré-emergente, em 6 diferentes tratamentos, para avaliar a eficiência do controle da matocompetição nos blocos 1 e 2. Já o bloco 3 será usado como testemunha. 

Também fazemos parte do PELD CNPq - Pesquisas Ecológicas de Longa Duração, no sítio Mosaico Central Fluminense.Criado em 1997 pelo conselho nacional de desenvolvimento científico e tecnológico (CNPQ), os sítios PELD constituem áreas de referência para pesquisas ecológicas no Brasil.

 

Atualmente existem 40 sítios PELD financiados pelo CNPq, distribuídos entre os diferentes biomas brasileiros. O Mosaico Central Fluminense é um deles, situado no estado do Rio de Janeiro.

 

O PELD-MCF atua em 4 Unidades de Conservação, sendo elas o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO), o Parque Estadual dos Três Picos (PETP), a Reserva Ecológica de Guapiaçu (REGUA) e a área de Proteção Ambiental (APA) da Bacia do Rio Macacu, investigando diferentes grupos da fauna e flora.

DSC08768.JPG
Copy of IMG_2238 (1).jpg
image12.jpg
Equipe da WWF Brasil realizando a semeadura direta - © REGUA
Pesquisadores analisando dados da restauração florestal da REGUA - © REGUA
Equipe da REGUA em área de restauração florestal - © REGUA
bottom of page