top of page

WWF Brasil e REGUA: parceria que continua dando frutos

A proteção do meio-ambiente em Cachoeiras de Macacu conta com um grande aliado. Tendo início no ano de 2021, a parceria entre a WWF Brasil e a Reserva Ecológica do Guapiaçu (REGUA) continua dando frutos. Parceria que foi renovada e está no seu segundo de contrato é responsável, nesta nova fase, pelo reflorestamento de uma área de 25 hectares, na Fazenda Solar da REGUA (uma área adquirida pela reserva para reflorestamento).

Aline Damasceno (Engenheira Florestal), Raquel Locke (Vice-Presidente da REGUA) e Alexander Copello (Gestor do Projeto) - Foto: Etinho Miranda

Cerca de 40 mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica (além de espécies nativas da região, totalizando cerca de 200 espécies) foram plantadas na Fazenda Solar da REGUA.

Aline Dmasceno - Engenheira Florestal do Projeto - Foto: Etinho Miranda

“Não tem um ano que iniciamos o plantio e já temos exemplares neste tamanho”, comentou Aline Damasceno de Azevedo, engenheira florestal do projeto, mostrando um Guapuruvu com mais de dois metros de altura. 

FAUNA. Essas primeiras espécies têm suas sementes propagadas pelo vento, já que os animais ainda não chegaram. “A gente espera que a floresta seja colonizada primeiro pela avifauna, e depois começam a chegar os pequenos mamíferos, como os roedores. Conforme a área de floresta for evoluindo, espera-se que animais de maior porte também surjam, como as próprias antas, que são oriundas de um projeto de reintrodução muito importante realizado aqui na REGUA com parceiros, pode vir um dia a se alimentar dos frutos das árvores aqui plantadas, com isso consigam se auto sustentar. Então teremos da base da cadeia alimentar até o topo, colonizando estas áreas restauradas”, explicou Aline, que usou uma variabilidade de técnicas de restauração florestal, incluindo o plantio total, o enriquecimento de espécies e a semeadura direta (esta última feita em parceria com a Universidade Federal Rural, do Rio de Janeiro).


ESSENCIAL. Considerando a parceria entre a WWF Brasil e a REGUA essencial para o cumprimento da missão da REGUA, que é recuperar e proteger a biodiversidade da Bacia do Rio Guapiaçu, Alexander Copello, consultor que faz a gestão do projeto, falou sobre como os trabalhos de restauração florestal possibilitam a criação de corredores de matas, conhecidos como corredores ecológicos, estratégia para resgatar a biodiversidade de uma determinada região degradada

- Essas parcerias são essenciais, desde a aquisição da área para a conexão de fragmentos de mata, e a criação de corredores de biodiversidade, e depois fazer a atividade de restauração. Isso demanda recursos financeiros e humanos, por isso as parcerias são muito importantes. Especificamente aqui no Solar da REGUA, temos essa parceria técnico-financeira com a WWF Brasil, que é primordial. Sem essas parcerias não se consegue empenhar recursos para a execução do projeto de restauração – declarou Alexsander.

Equipe de Campo WWF BRASIL - Foto: Etinho Miranda

LEGADO. Destacando que o grande legado após o reflorestamento da área será desfrutado por toda a sociedade (com a recarga dos corpos hídricos da região e a garantia da oferta de água para o consumo humano) o gestor acredita que frente aos excelentes resultados alcançados a parceria entre a WWF Brasil e a REGUA tem o potencial de se estabelecer por mais um bom tempo (o contrato atual termina em março de 2025).



- A REGUA tem 23 anos de reputação técnica e a gente verifica, nas visitas técnicas dos parceiros, o sucesso de nossas empreitadas e iniciativas. O resultado a REGUA tem, e a instituição espera que essa parceria continue para perpetuação das atividades - concluiu Alexsander.


IMPACTO ECONÔMICO. O projeto de reflorestamento da Fazenda Solar da REGUA emprega diretamente 10 pessoas, sendo oito destes trabalhadores moradores da região do Guapiaçu, o que gera renda na região e a distribuição dessa renda na economia local. Juntando aos outros projetos executados pela REGUA, o total de trabalhadores na Reserva chega a 50 pessoas, com a maior parte sendo moradores do entorno da entidade.


Matéria publicada pelo Jornal Estado em Notícias


Comentarios


bottom of page